Ouça as sonoras do PSDB-PR no Soundcloud






 

30/12/2017 - 12h35

Paraná tem maior capacidade de investimentos, diz Rossoni




O chefe da Casa Civil, deputado Valdir Rossoni, disse nesta entrevista que o Paraná teve em 2017 maior capacidade de investimentos do que anos anteriores. "Mais de 300 prefeitos passaram pela Casa Civil e trouxeram suas reivindicações e nós encontramos soluções e liberamos recursos, depois chancelados pelo governador", disse Rossoni ao fazer o balanço das atividades de sua pasta e as expectativas para 2018.


Qual o papel da Casa Civil na estrutura do Estado?
Rossoni - 
É coordenar toda a estrutura de governo, os secretários e promover a integração entre todos. Eu tenho uma despacho com o governador sempre antes de começar o trabalho onde resolvemos as principais questões. E durante o dia executamos.  Tudo Passa pela Casa Civil. Além da parte administrativa, temos todas as  questões jurídicas que também passam por aqui!

Como foram os trabalhos da Casa Civil em 2017?
Rossoni - Foi uma experiência nova na minha vida porque eu nunca havia participado do executivo estadual. Fui prefeito de Bituruna, deputado estadual seis vezes, presidente da Assembleia Legislativa e deputado federal, mas nunca havia participado do governo estadual. O balanço que faço é positivo, mas quem precisa fazer essa avaliação é a estrutura do governo sobre a integração administrativa que fazemos internamente e  com outros poderes, principalmente os prefeitos.

A parceria e a liberação de recursos para os municípios foram ampliadas nesse ano. Como vê isso?  
Rossoni - O governo está tendo capacidade bem maior de investimentos que os outros anos. Mais de 300 prefeitos passaram pela Casa Civil e trouxeram suas reivindicações e nós encontramos soluções e liberamos recursos, depois chancelados pelo governador.

A Casa Civil coordena programas importantes no setor de educação. Como estão o Escola Mil, Escola Conectada, Escola Rápida e Mãos Amigas?
Rossoni - Quando se lança um programa cuja meta é reformar mil escolas a demanda de engenheiros é muito grande. Tivemos falta dessa estrutura porque o governo nunca havia executado um programa desta envergadura. Mas os problemas foram resolvidos e agora  estamos com quase 1,5 mil obras em execução ou sendo planilhadas para iniciar.O Mãos Amigas usa mão-de-obra de apenados do semiaberto. Com um dia de trabalho eles diminuem três dias da pena. Só neste ano reformamos 35 escolas através do programa. A Fundepar entra com o material e eles fazem a obra. Estamos com cinco equipes e nossa intenção é estender para todas cidades onde há presídios com o semiaberto: Foz Iguaçu, Guarapuava e Francisco Beltrão. Já o Escola Conectada vai modernizar a internet nas 2,1 mil instituições de ensino do Paraná. Serão R$ 283 milhões em três etapas, com 700 escolas em cada uma. Já fizemos a primeira licitação e compramos 10 mil computadores. Estamos voltado para a área de educação.Estamos também instalando quadradas com grama sintética em diversas cidades. Esse é um programa desenvolvido pela Secretaria de Esportes em parceria com a Casa Civil.

Como funciona o programa de apoio aos pequenos municípios na coleta de resíduos?
Rossoni - O Paraná tem uma grande deficiência neste setor. Muitos não têm aterros ou a coleta é feita com caminhões velhos. Já atendemos 230 municípios. Alguns receberam caminhões e outros recebem todos os equipamentos para a separação do lixo. Assim a cidade pode organizar uma cooperativa e contratar pessoas para cuidar disso. Nossa meta para o ano que vem são 300 municípios.

Recentemente o senhor disse que o governo estadual tem recursos mais de R$ 1 bilhão parados e aguardando projetos. Esse é um problema das prefeituras?
Rossoni - Há alguns municípios que têm deficiência dessa parte técnica. Outros chegam na Casa Civil com os projetos prontos e sem a necessidade de  revisão. E isso facilita a liberação de recursos. 

Mas tudo isso só é possível graças ao ajuste fiscal?
Rossoni - Sem dúvida. Se o governador não tivesse tomada as medidas na hora certa talvez estivesse atrasando salários e sem recursos para investimentos.

Qual a expectativa do senhor para 2018?
Rossoni - O Paraná tem uma situação financeira bem confortável. Estamos fechando o ano com o décimo terceiro e o salário de dezembro pagos. Também teremos uma antecipação do ICMS para as prefeituras através do Paraná Competitivo que será depositado ainda em dezembro. E isso vai ajuda-los a fechar suas contas. Temos algumas reclamações do funcionalismo porque não concedemos a data base. Não fizemos porque temos que respeitar o limite prudencial ou não conseguiríamos o empréstimo de quase R$ 1 bilhão com o BID para importantes obras de infraestrutura.

Quais as principais obras em execução no Estado?
Rossoni - Estamos duplicando o acesso para Piraquara, vamos duplicar as rodovias da Uva e dos Ministérios, terminando a rodovia do Cerne, estamos fazendo os contornos de Pato Branco e Francisco Beltrão, construindo uma nova ponte em União da Vitória.


ÚLTIMAS NOTÍCIAS

TV PSDB-PR
Dívidas de pequenas e micro empresas, confira:
Hauly: dívidas de microempresas parceladas em 12 meses

O deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR) fala sobre dívidas de pequenas e micro empresas, conforme projeto em andamento no Congresso: "Vamos ter o parcelamento de 120 meses para todas as que estão inadimplentes".

Publicado por Conversa com os Brasileiros em Quinta, 18 de agosto de 2016


PSDB-PR NA REDE

Conheça o Blog do Beto Richa, tudo o que acontece no dia a dia do governador do Estado.

Faça parte você também. Filie-se.

PSDB Nacional




Rua Mauá, 1.117 - Alto da Glória - Curitiba - PR | CEP: 80.030-200
Fone: (41) 3015-4545 | Fax (41) 3029-4645 | E-mail: